Planejamento tributário para clínicas odontológicas

Planejamento tributário para clínicas odontológicas

É muito importante que o planejamento tributário de uma clínica odontológica seja feita desde o princípio da gestão.

Além de organização na rotina, estar em ordem com as obrigações legais pode poupar o gestão de vários prejuízos.

Tem dúvidas do que é um planejamento tributário ou por onde começar a verificar essas questões?

Hoje, vamos responder algumas das principais dúvidas.

De início, vale ressaltar que é possível escolher o melhor sistema tributário para sua clínica.

Para tanto, é necessário fazer uma análise do seu modelo de negócio, número de funcionários e outras questões mais.

Com esse detalhamento, você vai evitar o pagamento de multas e juros, ou qualquer outra penalidade referente ao recolhimento dos impostos.

Outra dica é que deve existir um esforço para que os tributos sejam pagos corretamente.  Para deixar tudo em ordem, é possível requisitar a assessoria de um profissional para buscar a redução dos custos que envolvem tal processo.

Isso porque as tributações que envolvem o profissional da saúde costumam ser altas.

Independentemente de ele ser o único profissional do consultório, ou juntamente dos seus sócios. O importante é buscar o sistema mais adequado e acompanhar a tributação, mantendo tudo em dia.

É através do planejamento tributário que o profissional médico irá saber quais os tributos que devem ser recolhidos.

Para fazer o planejamento tributário para clínicas médicas de forma correta, algumas etapas devem ser seguidas.

Vamos conhecê-las?

Escolha o melhor regime de tributação para sua clínica odontológica

Para iniciar o planejamento tributário da sua clínica odontológica é necessário escolher o melhor regime de tributação.

Portanto, escolha se os serviços prestados pela clínica serão tributados como pessoa jurídica ou física.

Caso seja escolhida a contribuição como pessoa física, a melhor solução para o profissional médico é a EIRELI (Empresa de Responsabilidade Limitada).

Essa é uma opção que implica na redução da carga tributária.

Contudo, ela só apresenta vantagens quando o profissional trabalha sozinho no consultório odontológico e não pretende ter sócios.

A outra opção é planejar uma empresa jurídica. Neste caso, existem três modelos de tributação possíveis: Simples Nacional, Lucro Real ou Lucro Presumido.

Simples Nacional

Desde janeiro do ano de 2015, o Simples Nacional ampliou o número de atividades permitidas. E justamente por isso esta é uma boa opção que pode ser bem estudada pelo médico gestor.

O Simples Nacional tem uma grande vantagem: ele reúne oito tributos em um único cálculo. Isso acaba facilitando, e muito, o gerenciamento dos impostos na contabilidade para clínicas médicas. São reunidos os seguintes impostos:

  • IRPJ
  • CSLL
  • PIS/PASEP
  • COFINS
  • IPI
  • ICMS
  • ISS
  • CPP

Para efetuar o cálculo dos impostos se faz necessário a utilização da tabela do Simples Nacional

Ela é atualizada periodicamente, verificando a faixa de renda bruta e encontrando a alíquota de impostos que devem ser recolhidos. Por isso é importante que você acompanhe estas mudanças.

Lucro Presumido

No Lucro Presumido, a contabilidade acontece de forma mais simples.

O cálculo dos tributos é baseado em uma margem de lucro específica, cujas alíquotas dependem do ramo de atividade.

Dois impostos devem ser recolhidos neste caso; o IRPJ e a CSLL (Imposto de Renda Pessoa Jurídica e Contribuição Social sobre o Lucro Líquido).

Lucro Real

O Lucro Real é calculado sobre o lucro líquido da empresa durante seu exercício fiscal.

Neste sistema, a empresa precisa manter a contabilidade em dia.

Apenas a partir dos valores reais do lucro da clínica é que se encontra a base de cálculo para o IRPJ e a CSLL.

Vale destacar que os encargos o Lucro Real são inconstantes, uma vez que podem aumentar ou diminuir o resultado final.

Além do mais, caso a empresa tenha prejuízo no exercício fiscal, fica dispensado o pagamento do tributo.

Conhecendo os tributos incidentes sobre clínicas médicas

A segunda etapa do planejamento tributário é conhecer os tributos incidentes sobre as atividades do empreendimento.

Isso porque a falta de pagamento de qualquer imposto pode trazer consequências desagradáveis e caras para a clínica, como multas, juros e mora.

O primeiro imposto a ser analisado é o ISS (Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza).

Este imposto deve ser recolhido pela Prefeitura do município onde a clínica está instalada.  

As alíquotas variam de 2 a 5% sobre os serviços prestados e dependem da legislação municipal.

Quando o assunto é tributação federal, o profissional de saúde deve dar especial atenção ao IRPJ (Imposto de Renda Pessoa Jurídica) ou IRPF (Imposto de Renda Pessoa Física).

Quando se trabalha como pessoa jurídica, é preciso também conhecer a CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido) e a COFINS (Contribuição para Financiamento da Seguridade Social).

Além desses dois impostos, existem ainda o PIS (Programa de Integração Social) e o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), ambos são calculados sobre a folha de pagamento.

Mantendo a atualização sobre a legislação de clínicas médicas

È importante que o profissional médico tenha assessores competentes para o planejamento tributário de sua clinicas médica.

Além do mais, acompanhar as mudanças da legislação tributária é imprescindível.

As alterações incluem reduções ou aumentos que interferem diretamente no valor final do pagamento.

Esse acompanhamento atento em relação às alterações da legislação irá permitir que o profissional recolha apenas os impostos necessários.

Esse cuidado interfere diretamente no lucro de seu consultório.  

Além das constantes mudanças na legislação, também pode ocorrer o entendimento dos tribunais sobre os mais diversos assuntos.

Tal situação exige a presença de especialistas em contabilidade e tributos.

Por isso é tão importante ter especialistas confiáveis para dar as diretrizes necessárias.

Utilize a tecnologia para facilitar o planejamento tributário de sua clínica odontológica

Quando o profissional médico, que também é o gestor da clínica, se depara com o planejamento tributário da clínica, diversas questões vem à tona.

Justamente por isso é uma boa ideia contar com um programa de gestão especializado em clínicas odontológicas.

Isso vai permitir que o gestor organize suas finanças facilmente e sem erros, com controle total sobre o patrimônio de sua empresa.

Conhecer sua clínica odontológica é essencial para uma gestão de sucesso.

Apenas desta forma você poderá tomar as decisões sobre o futuro do seu empreendimento de maneira precisa.

Quando o gestor tem em mãos os relatórios contábeis, tanto o médico empreendedor quanto o contador terão mais condições de fazer o melhor planejamento tributário para a clínica médica.

Isso tudo sempre monitorando o fluxo de caixa da empresa e os tributos pagos; tudo de acordo com a legislação.

Tenha controle total da sua contabilidade com o Contify

O Contify é um dos parceiros Dental Office. Com ele, você tem um escritório de contabilidade completo em apenas alguns cliques, dentro do seu sistema Dental.

Neste módulo, é possível emitir DARF (Documento de Arrecadação de Receitas Federais) e controlar com facilidade o livro de caixa do seu negócio.

Fique em dia com a Receita Federal diretamente do seu Dental Office.

Desde 2015, todo profissional liberal precisa, obrigatoriamente, declarar e emitir a guia do carnê leão (DARF) mensalmente.

Profissionais que apresentem inconsistência de dados e a falta dessas declarações estão sujeitos à multas altíssimas.

Portanto, para a segurança legal do seu negócio, conte com ferramentas que garantam a regularidade e facilitem definitivamente esse processo!

Planejamento tributário para clínicas odontológicas